Central de Agendamento: 11 2410-1400 Ouvidoria: 11 4414-6006         Imprensa



27 de Junho - Dia Nacional do Diabetes

Publicado em 27/06/2014

27 de Junho - Dia Nacional do Diabetes

O dia 27 de Junho é celebrado o Dia Nacional do Diabetes, entrevistamos o endocrinologista Doutor Fernando Martins de Oliveira (CRM 97049) que pôde explicar um pouco mais sobre essa doença que atinge tantas pessoas nos dias de hoje.

O QUE É A DIABETES?
Diabetes mellitus (DM) não é uma únicaDia Nacional do Diabetes
doença, mas um conjunto de desordens do nosso metabolismo que tem em comum o aumento da taxa de açúcar no sangue (hiperglicemia), o qual é o resultado de defeitos da secreção de insulina, ou da ação da insulina , ou em ambas.
A insulina é o principal hormônio no controle metabólico da glicemia, ela é secretada por um conjunto de células especiais presentes no pâncreas conhecidas como ilhotas. Essa secreção se dá continuamente aumentando principalmente quando nos alimentamos e fica em níveis baixos quando estamos em jejum.

TIPOS
Há vários tipos de diabetes classificados atualmente em quatro classes clínicas:
DM tipo1 (DM1), DM tipo2 (DM2), DM gestacional e outros tipos específicos de DM.
As três primeiras classes clínicas são as mais comuns, sendo que o DM gestacional é aquele que tem o seu diagnóstico durante a gravidez.
O DM2 é o tipo mais comum de diabetes sendo que, no Brasil, corresponde a cerca de 90% a 95% dos casos, podendo ocorrer em qualquer idade, principalmente após os 40 anos . Está muito relacionado a história familiar para DM, obesidade, sedentarismo e alterações nos níveis de colesterol sanguíneo. É fortemente associado à hipertensão arterial e doença aterosclerótica (destacando-se angina e infarto cardíaco).
O DM1 corresponde a cerca de 5% a 10% dos casos de DM no Brasil, é decorrente da destruição das células produtoras de insulina do pâncreas com consequente deficiência de insulina. Na grande maioria dos casos de DM1 essa destruição das células produtoras de insulina ocorre por interferência do sistema imunológico do próprio indivíduo, principalmente na infância ou adolescência.

FATORES DE RISCOS
Deve-se salientar que o DM com mau controle glicêmico leva, com o passar dos anos, as temíveis complicações crônicas que afetam principalmente rins, diminuindo a função renal, visão podendo levar até a cegueira, diminuição da sensibilidade e dores em membros inferiores, disfunção erétil, infarto do coração, etc. O DM é uma doença crônica onde é importantíssimo o diagnóstico e tratamento precoces para que o indivíduo não venha a apresentar, com o passar dos anos, as complicações crônicas que tantam limitam sua qualidade de vida.

SINTOMAS
Os principais sintomas são:
- Sede aumentada e vontade frequente de urinar em grande quantidade.
- Mal-estar
- Perda de peso em curto espaço de tempo.
- Cansaço e fraqueza.
- Aumento de apetite.
- Infecções frequentes.

DIAGNÓSTICO
O exame mais utilizado para o diagnóstico é a glicemia de jejum , mas também pode ser utilizado a glicemia colhida em qualquer horário do dia e a hemoglobina glicada.

TRATAMENTO
O tratamento para o DM deve ser individualizado, ele não é apenas baseado em medicamentos, mas também em mudanças do estilo de vida do indivíduo (uma dieta mais equilibrada, abandono do sedentarismo).
Há vários medicamentos para o tratamento do DM, entre eles, de uso oral e injetável (insulinas principalmente), e a terapia de escolha dependerá do grau de evolução da doença no indivíduo.
Outros tratamentos não tão comuns realizados atualmente são transplante de pâncreas, transplante de ilhotas produtoras de insulina e até cirurgia bariátrica, nos casos onde a obesidade é um grande fator complicador do DM.