Central de Agendamento: 11 2410-1400 Ouvidoria: 11 4414-6006         Imprensa



Parto Adequado HNA

O Brasil é campeão mundial de cesarianas, na contramão das evidências científicas e das melhores práticas internacionais. No ano de 2015, a taxa de partos cesáreos no setor suplementar de saúde brasileiro foi de 84,4%, sendo que a OMS preconiza como adequada, uma taxa de 15%.

O Projeto Parto Adequado é uma iniciativa conjunta da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e do Institute for Healthcare Improvement (IHI),com apoio do Ministério da Saúde com vistas à melhoria da atenção ao parto e nascimento.

Evidências científicas mostram que os fatores clínicos não são os principais determinantes das elevadas taxas de cesarianas (KHUNPRADIT et al.,2011), mas uma associação entre a forma de organização e de financiamento dos sistemas de saúde com uma cultura médica intervencionista ( SAKAE, FREITAS; D’ORSI, 2009), aspectos socioeconômicos, preocupações ético-legais e características psicológicas e culturais das pacientes (FAISAL-CURY; MENEZES,2006).

O Excesso de cesarianas é um problema de saúde pública, associado ao aumento da morbimortalidade materna e neonatal (CLARK; MILLER;BELFORT,2009) e com possível impacto, em longo e médio prazo, no desenvolvimento de doenças crônicas.

O acordo de cooperação entre as entidades supracitadas (ANS, HIAE e IHI) ocorreu em 2014 e a 1ª fase do projeto contou com 40 hospitais, finalizada em 2017. Na 2ª fase dessa iniciativa 150 hospitais foram selecionados, sendo que o Hospital Novo Atibaia é um deles. Alguns hospitais da 1ª fase atingiram ou superaram as metas preestabelecidas e se tornaram HUBs (referências), para os hospitais da 2ª fase. Os Hubs do HNA são: o HIAE e o Hospital São Luís unidade Itaim.

 

Método e estratégias Parto adequado HNA

O Programa Parto Adequado (PPA) se utiliza de evidências científicas para testar e implementar mudanças.

 

Mudanças propostas:

 

Liderança: coalisão entre lideranças do setor saúde alinhadas em torno da segurança e da qualidade na atenção ao parto e nascimento.

Gestantes e famílias: informar e empoderar as gestantes e famílias para escolher o cuidado mais adequado garantindo adequado preparo para o trabalho de parto.

Sistema de saúde: reorganizar o modelo de cuidado perinatal de modo a favorecer a evolução fisiológica do trabalho de parto.

Informação para a melhoria contínua e aprendizagem: Estruturar sistema de informação e coleta de dados que permita o aprendizado contínuo.

Objetivos: Diminuir para 60% o número de cesarianas em 2 anos, nas gestantes do grupo I ao IV da Classificação de Robson; melhorar a infra- estrutura hospitalar;

melhorar a remuneração e as condições de trabalho da equipe de saúde; melhorar a percepção da população sobre o próprio processo de saúde; tornar-se uma referência regional em Ciência da Melhoria.

Estratégias: Aplicação de ciclos de melhoria (PDSAs) na rotina do hospital; educação continuada da equipe de saúde; adoção de protocolos; treinamento da equipe multidisciplinar; negociação com as operadoras; criação do quarto de pré-parto, parto e puerpério; grupo de apoio às gestantes e puérperas; divulgação do projeto.

 

Equipe Projeto Parto Adequado HNA: Sponsor: Dr. Alexandre Mizobe Ribeiro (CRM:82176); Gestora administrativa: Srª. Quicuie Kawakami; Especialista em Melhoria: Enfª. Rosemeire Martinez; Líder do Projeto: Drª. Adriana Cristina de Souza (CRM: 80470); Integrantes da linha de frente: Drª. Alessandra Garcia Lopes Magro (CRM:130260) e Drª. Tatiane Colombari (CRM:166389).

 

Saiba mais sobre a pareceria entre Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e Institute for Healthcare Improvement (IHI),com apoio do Ministério da Saúde e informações sobre o projeto. Clique aqui! (http://www.ans.gov.br/gestao-em-saude/projeto-parto-adequado)